Faça a melhor escolha hoje: Jesus.

Série: O discípulo e o crente - Parte 16

• O crente pertence a uma instituição; o discípulo é uma instituição em si mesmo.
Encontramos todos os dias com crentes que pertencem as mais diversas denominações. Cada denominação tem sua hierarquia própria, seu modo de dirigir os cultos, de levar o povo à adoração a Deus.
É muito bom fazer parte de uma instituição chamada igreja. Através dela, aprendemos a viver em comunidade, a partilhar nossas experiências e aprender um pouco mais com nossos irmãos na fé.
Mas o que prejudica o crente quando ele faz parte de uma igreja é o orgulho. O crente, orgulhoso de sua própria igreja passa a se sentir maior que seus irmãos de outras denominações, ou ainda, imagina que somente a sua igreja detém toda a verdade de Deus, se esquecendo que a verdade está em Jesus Cristo (Ele é a verdade), pois Ele mesmo disse a seu próprio respeito: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14:6 b
O apóstolo Paulo repreendeu aqueles que procuravam fazer divisão no Corpo de Cristo: "Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas e eu de Cristo. Porque dizendo um: Eu sou de Paulo e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais?" 1 Coríntios 1:12, 3:4
Paulo foi tão preciso que lhes perguntou se eles não estavam na verdade sendo carnais, pois cada um se orgulhava de dizer o nome daquele que os tinha evangelizado, fazendo assim "panelinhas".
O que muitos crentes fazem é exatamente isto: panelinha. Cada um tem a panelinha de sua própria igreja e se considera melhor por causa disso.
O discípulo sabe que independente da igreja onde congrega, o seu alvo não é apresentar sua própria igreja para aquele que não a conhece, mas apresentar a Cristo para as vidas que necessitam de salvação.
O discípulo em si, já é a igreja de Cristo. Ele o adora em espírito e em verdade e por onde passa, as pessoas não veem nele a placa de sua denominação, mas veem o caráter de Cristo estampado em suas faces.
A sua vida e seu testemunho atraem as pessoas, e por isso elas se interessam em conhecer o Senhor.
Algumas pessoas quando conhecem a igreja, se decepcionam, mas se elas forem ensinadas a conhecer Jesus primeiro, tenho certeza que Ele não vai as decepcionar!

Na próxima postagem da série O discípulo e o crente, veremos • Para o crente, a habitação do Espírito Santo em si é sua meta; para o discípulo, é meio para alcançar a meta de ser testemunha viva de Cristo a toda criatura.
Fique ligada!

O que diz o espelho

"Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido." 1Coríntios 13:12
Você se levanta pela manhã, sonolenta, entra no banheiro para escovar os dentes e dá de cara com o espelho. Qual a sua primeira impressão? "Que cara horrível, que olheiras!"
Todos os dias pela manhã nos confrontamos com o espelho, às vezes com pensamentos como esse, e às vezes sem nem pensar nada devido ao sono e a vontade de voltar para cama.
O fato, é que não podemos confiar na imagem do espelho cem por cento, porque ela não reflete a total realidade de quem somos, mas somente como estamos naquele momento.
Em primeiro lugar, leve em consideração que sua imagem no espelho é apenas um reflexo. E como um reflexo vai lhe mostrar exatamente como você ESTÁ, e não como você É.
Veja só esses exemplos: Você se arruma para uma festa, faz a maquiagem, o melhor penteado, usa aquele vestido alugado que custou uma fortuna e passa o melhor perfume. Se olha no espelho e diz:"Como eu ESTOU linda!".
Quando a festa acabar e você voltar para casa, vai novamente olhar para o espelho e dizer:"Oh, o que aconteceu com minha maquiagem, derreteu! Meu penteado está desfeito, que bagunça!"
Em nenhuma destas situações é preciso que você coloque suas emoções em primeiro lugar, porque o que você vê é um reflexo físico de como você está naquele momento apenas, e não seu estado de espírito.
Algumas mulheres tem o péssimo costume de ir em frente ao espelho e dizer:"Como SOU feia,  como meu cabelo É horroroso." Elas não percebem que na verdade elas NÃO SÃO nada disso que estão falando quando se veem pelo reflexo, na verdade elas apenas ESTÃO: "Como ESTOU feia, como meu cabelo ESTÁ horroroso."
Estar é apenas um estado momentâneo, e pode mudar se você quiser. Você não precisa passar os dias perguntando para o espelho coisas que você mesma vai responder e se magoar com as respostas erradas.
Você pode fazer algo por você mesma, e mudar o que lhe incomoda em sua aparência no lugar de ficar se martirizando toda vez que olhar para o espelho.
Quando ver o seu reflexo da próxima vez, analise o que está vendo. Lembre-se que naquele momento o que você vê é apenas um reflexo, e que não reflete completamente quem você é.
Já parou para pensar quem você é em Cristo? Por acaso em Cristo, você é uma pessoa sem valor, uma pessoa horrorosa, ou um lixo? Com certeza não.
Quando você compreender quem você É em Cristo, vai entender que o espelho mostra apenas como você ESTÁ!

Como seus olhos vêem?

"São os teus olhos a lâmpada do teu corpo; se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas, se forem maus, o teu corpo ficará em trevas." Lucas 11:34
É interessante notar como o simples olhar para alguém pode fazer a diferença em como está nosso estado de espírito.
Os olhos são representados aqui como uma lâmpada, que ilumina o nosso corpo, e a luz representa o modo como vemos. Mas a luz, representa o lado bom, quando não olhamos com maldade as atitudes daqueles que nos rodeiam, tirando conclusões precipitadas.
Infelizmente, todos os dias somos tentadas a pensar mal das pessoas, como por exemplo:"Fulana vem toda arrumada para o serviço para humilhar as colegas mais simples, Ciclano depois que comprou um carro novo está se achando o rei da rua, Beltrana pensa que é melhor só porque canta afinado." E assim vão as especulações a respeito do comportamento das pessoas quando temos olhos maus.
O olho mau não vê boas intenções em nada. Tudo o que vê é motivo para crítica. Ainda que encontre algo em alguém para elogiar, em seguida dispara a crítica:"Ela é tão bonita, pena que tem joanete!"
Olhar os defeitos dos outros, ou mesmo inventar defeitos e sugerir que alguém está tendo um comportamento que não temos certeza se é esta a real intenção da pessoa, é ter olhos maus.
Por acaso podemos saber o que as pessoas pensam, ou saber como elas se sentem por dentro? Na maioria das vezes, quando temos olhos maus, distorcemos o real sentido das coisas.
Aconteceu uma vez um fato com minha mãe, e eu lhe fiz pensar de outro modo para que ela não tivesse olhos maus. Uma irmã chegou na igreja, era uma das mais alegres e sorridentes, mas neste dia chegou de cara fechada e calada. Cumprimentou poucas pessoas e se sentou. Ao fim do culto minha mãe comentou comigo:"Como aquela irmã está estranha, quase não deu confiança para ninguém, estava com uma cara feia." Logo rebati:"Mãe, ela pode não estar se sentindo bem de saúde, quando ficamos doente é difícil ficar de bom humor." Mas até então ninguém sabia o que aquela irmã estava passando.
Conclusão: realmente aquela irmã havia vindo à igreja naquela noite passando mal, estava doente, e sua atitude poderia ter sido mal interpretada até mesmo por minha mãe, justamente porque a irmã não estava com o estado de ânimo de sempre. Naquela mesma semana aquela irmã faleceu.
Imagine se minha mãe e outras pessoas tivessem olhado para ela com olhos maus? Teriam com certeza comentado:"Se acha melhor que as outras por isso cumprimenta só quem quer, faz cara feia para os outros irmãos na fé porque não tem humildade."
Percebe como os olhos maus podem nos fazer injustas? Vamos tirando conclusões precipitadas sem nem ao menos pensar na realidade da situação. Olhos maus apagam a luz do nosso corpo, ficamos em trevas espirituais e sujeitas a pensamentos ruins. Não permita que a sua luz se apague.
"Vê, pois, que a luz que em ti há não sejam trevas." Lucas 11:35

Série: O discípulo e o crente - Parte 15

• O crente se senta para adorar; o discípulo anda adorando.
Muitos crentes ainda tem aquela idéia de que somente indo à igreja estão adorando a Deus. Mas, e quando estão fora da igreja como por exemplo no trabalho ou em casa, porque não estão adorando a Deus também?
O discípulo sabe que não existe hora e nem lugar para adorar a Deus, pois ele se sente sendo a própria igreja e presta culto ao Senhor onde quer que esteja.
Isso não significa que o discípulo em seu escritório de trabalho se ajoelha e ora diante de todos. Em seu coração há uma adoração contínua ao Senhor, e mesmo que não esteja de joelhos ou dentro de um templo, está sempre com seu pensamento voltado para Deus.
O Senhor tem buscado estes adoradores, que não pensam que somente dentro da igreja se deve adorar e prestar culto à Deus.
Vamos analisar: um culto dura apenas algumas horas, e praticamente a maioria das pessoas não vai ao culto todos os dias, pois há igrejas em que os dias são alternados, ou são apenas dois ou três cultos a cada semana. Agora imagine se estas pessoas adorassem à Deus somente nos dias de culto, o que estariam fazendo nos outros dias?
Este é o tipo de pensamento que faz com que muitos fiquem desligados das coisas de Deus. Como imaginam que basta adorar a Deus dentro do templo, passam o restante dos dias sem se lembrar que a vida espiritual não se resume somente  a um ou dois cultos semanais!
O conselho para todos que esperam adorar a Deus independente de onde estejam é este: "Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." João 4:24

Na próxima postagem da série O discípulo e o crente, veremos • O crente pertence a uma instituição; o discípulo é uma instituição em si mesmo.
Fique ligada!

A tristeza segundo Deus

"Porque a tristeza segundo Deus, produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte."(1 Coríntios 7:10)O pecado tem sido o grande vilão que tem arrastado vidas à um buraco sem fim de tormento.Quantas pessoas, se pudessem, voltariam no tempo e fariam tudo de modo diferente, fariam a melhor escolha, não teriam cometido tais atos para não se encontrar na situação que se encontram hoje.
O fato, é que o tempo não volta, por mais que você se arrependa, mas isso não significa que nada mais pode ser feito.
Consideramos que a tristeza é algo mal, que nos deixa para baixo, mas Deus não a considera assim.
A tristeza, segundo Deus, tem o poder de fazer com que nos arrependamos dos nossos erros, e comecemos a repensar em novas alternativas para não cair mais nos mesmos pecados.
Quando alguém peca e depois de algum tempo se arrepende, há esperança de salvação para aquela vida, pois ela tornará a clamar a Deus, em nome de Jesus que a perdoe, e o Senhor ouvirá e a atenderá.
Mas quando já se está acostumado a pecar sem se arrepender, o problema é mais grave do que imaginamos:"Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários." (Hebreus 10:26,27)
Ficar triste por ter pecado é algo bom, mas não pense que apenas a tristeza será suficiente para liberar o perdão de Deus em sua vida. Esta tristeza deve vir acompanhada de arrependimento. Onde não há arrependimento, não há também motivo de perdão.
Esta tristeza não traz pesar, ao contrário, alivia a alma e libera o perdão de Deus.
Se por acaso você começar a pecar deliberadamente e não sentir mais a necessidade de se aproximar de Deus para pedir perdão, comece a se preocupar. O pecado cauteriza a mente do homem, isso significa que ela endurece o entendimento até que a pessoa passe a pensar que pecar é algo normal e que não há consequências tão sérias assim.
Se o pecado fosse algo tão sem importância, o mundo no qual vivemos não seria como é!
A tristeza segundo Deus produz arrependimento e salvação, mas a tristeza segundo o mundo, produz morte, porque neste caso, é uma tristeza momentânea, acompanhada pelo sentimento de remorso, mas não há uma mudança real de vida, apenas uma amargura que logo é abafada pelas situações da vida, até que um novo acontecimento leve a pessoa à tristeza e se repita o mesmo ciclo. A morte espiritual nestes casos é real, pois sem arrependimento não há perdão, e sem perdão não há expectaviva de salvação.
Pense nisso!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...